Moraes abre novos inquéritos para investigar participações em atos extremistas

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou, nesta segunda-feira (23), a abertura de mais três inquéritos para apurar a participação de envolvidos nos atos extremistas do dia 8 de janeiro. A decisão atende a pedidos da Procuradoria-Geral da República (PGR).

As solicitações têm o objetivo de identificar os financiadores, os executores e os autores intelectuais da invasão e depredação das sedes dos Três Poderes.

O ministro já havia determinado a abertura de inquérito sobre os ataques; no entanto, voltado apenas às condutas de omissão ou conivência de autoridades. Na ocasião, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, foi afastado do cargo, e o ex-secretário de Segurança do DF Anderson Torres, preso.

Após os ataques, mais de 1.400 pessoas foram detidas sob suspeita de envolvimento nos atos de vandalismo. Dessas, 942 pessoas tiveram a prisão em flagrante convertida em preventiva e 464 conseguiram liberdade provisória, por meio de medidas cautelares, e vão poder responder ao processo em liberdade, com uso de tornozeleira eletrônica.

Danos milionários

Os prejuízos causados ao Congresso Nacional, Palácio do Planalto e STF chegam a R$ 18,5 milhões, segundo estimativas apresentadas pela Advocacia-Geral da União (AGU) em pedido para bloquear a quantia de quem financiou os atos de vandalismo. A solicitação foi feita nesta quinta-feira (19) à Justiça no Distrito Federal.

Confira os prejuízos calculados:

• Palácio do Planalto: R$ 7.978.773,07
• Câmara dos Deputados: R$ 1.102.058,18
• Senado: R$ 3.500.000,00
• Supremo Tribunal Federal: R$ 5.923.000,00
TOTAL: R$ 18.503.831,25

Alguns danos, como os causados a obras de arte e a presentes de chefes de Estado, são incalculáveis.

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário