Mais de 300 empresas fecham as portas em MT em protesto contra vitória de Lula

Mais de 300 empresas, entre lojas, oficinas, óticas, distribuidoras e outros tipos de estabelecimentos comerciais, fecharam as portas nesta segunda-feira (07.11) no município de Sinop (a 503 km de Cuiabá) em adesão ao manifesto que ocorre em diversos Estados contra o resultado da eleição presidencial que elegeu Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Sinop explicou que o levantamento é extraoficial, e segue uma lista divulgada pelas empresas do município. A CDL disse que oficialmente não irá se manifestar sobre a adesão das empresas ao manifesto, e que respeita a decisão de cada empresário e estabelecimento comercial em abrir ou não o seu comércio.

A CDL de Sorriso informou que no município também existe um “bom número” de empresas que decidiram aderir o movimento e fechar as portas, porém, não soube precisar o número, e assim como em Sinop, disse que a entidade “respeita a decisão de cada comerciante”.

Já a CDL de Cuiabá afirmou que não detém qualquer dado oficial sobre comércio que aderiu ao movimento na Capital.  “A CDL Cuiabá respeita a individualidade e o direito de cada cidadão em manifestar-se de forma civilizada, contra aquilo que não concorda e até mesmo fechar seu estabelecimento, assumindo a responsabilidade por seus atos. Por outro lado, respeita também o direito de quem não queira se manifestar, mantendo sua empresa em funcionamento. Entendemos que a liberdade e autonomia de cada empresário em decidir o que fazer deve ser respeitada”, diz trecho da nota.

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário