Ex-assessor do vereador Gabriel Monteiro usa colete à prova de balas para depor na Câmara Rio

Ex-assessor do vereador Gabriel Monteiro, Vinícius Hayden Witeze usou um colete à prova de balas para prestar depoimento ao Conselho de Ética da Câmara do Rio nesta quarta-feira (25). Ele foi a primeira testemunha de acusação a ser ouvida no processo que pode levar à cassação do parlamentar.

Vinícius e outro ex-assessor, Heitor Monteiro de Nazaré Neto, falaram por quase oito horas aos integrantes do conselho. Os dois afirmaram estar sofrendo intimidações de seguidores de Gabriel Monteiro nas redes sociais. As ameaças seriam de agressões físicas e até de morte, de acordo com o vereador Luiz Ramos Filho.

Integrante do conselho e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal, a vereadora Teresa Bergher ofereceu apoio irrestrito para proteger as testemunhas.

Além de relatos sobre assédio sexual e moral, os ex-assesores apontaram em seus depoimentos orientações do vereador Gabriel Monteiro para produzir dossiês que pudessem constranger outros parlamentares e autoridades públicas, segundo informações da assessoria da Casa.

Gabriel Monteiro responde ao processo por quebra de decoro parlamentar após ter sido alvo de uma série de denúncias. Recentemente, ele se tornou réu na investigação do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) sobre a gravação de um vídeo íntimo com uma menor de idade.

Em nota, a defesa afirmou que, conforme depoimento da suposta vítima do vídeo íntimo, a jovem disse à época ao vereador ter 18 anos. Além disso, afirmou ainda que vai apresentar todas as provas, cumprindo o ritual do processo em curso.

Sobre as denúncias dos ex-assessores, a defesa de Gabriel Monteiro afirmou que não vai se pronunciar em respeito à Resolução 1133/2009, que rege os procedimentos disciplinares da Câmara e diz que o processo deve correr em sigilo

Outros dois depoimentos estão marcados para a próxima terça-feira (31), a partir das 13h. Os ex-funcionários Luiza Caroline Bezerra Batista e Mateus Souza de Oliveira serão ouvidos na condição de testemunhas de acusação. A fase de oitivas está prevista para terminar no dia 9 de junho.

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário