Centro de Controle de Zoonoses alerta estudantes da Rede Municipal de Ensino para eliminação de criadouro de mosquitos

Em mais uma etapa do programa ‘Educação em Saúde’, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), da Secretária municipal de Saúde de Várzea Grande, realiza amanhã (14), a partir das 8h, mais uma sequência de palestras voltadas ao combate do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. As informações serão levadas aos estudantes da Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) “Professora Juvenília Monteiro de Oliveira’, no Engordador.
Como explica o coordenador do CCZ, Isaac Nassarden, o foco principal é alertar as crianças e adolescentes acerca da prevenção e combate ao mosquito, que é o vetor de várias doenças. “Mas além dessas informações, ilustradas ainda em panfletos que serão distribuídos, nossos agentes de endemias, biólogos e veterinários, abordam cuidados com animais peçonhentos e sinanstrópicos, como os escorpiões. Toda a informação é passada e cremos que o público-alvo se tornará um agente multiplicador em casa, especialmente, junto aos pais e responsáveis”.
A ação é permanente e neste ano já foi levada a quatro escolas Municipais no Grande Cristo Rei e ainda aos servidores dos Correios. “Além de todas essas informações, nosso corpo de médicos-veterinários repassa informações importantes sobre cuidados básicos com animais domésticos, especialmente os pets (cachorros e gatos). É importante conscientizar contra maus-tratos, hoje enquadrado como crime, e despertar para um manejo responsável, com alimentação correta e castrações”.

Segundo dados da Vigilância Epidemiológica de Várzea Grande, as residências habitadas são responsáveis por 80% dos criadouros dos mosquitos, adaptados para a colocação dos ovos em qualquer recipiente que possa acumular água, até mesmo nos secos. “Essas chuvas dos últimos dias podem potencializar a expansão da dengue nos próximos meses, por exemplo. Por isso, a ação tem de ser permanente”, alerta Nassardem.
Para evitar os riscos, o CCZ vai orientar sobre a necessidade da verificação sistemática dos espaços externos e internos da residência, do local de trabalho, para o descarte de qualquer material inservível que possa acumular água, limpeza com água, bucha e sabão dos bebedouros dos animais, além da verificação dos ralos, calhas e caixas d´água para evitar que estejam abertas ou entupidas. No caso dos ralos, o uso de telas também colabora para evitar o acesso dos animais peçonhentos, por exemplo, escorpiões, cobras, para o interior do imóvel, que também surgem com as chuvas frequentes. “Nossas equipes estão sempre realizando a borrifação em locais como cemitérios, ferros-velhos e oficinas”.
SOBRE A DOENÇA – A transmissão da dengue acontece através da picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti, que provoca sintomas como dor nas articulações, no corpo, na cabeça, náuseas, febre acima de 39ºC e manchas vermelhas no corpo.
As picadas pelo mosquito da dengue acontecem geralmente nas primeiras horas da manhã ou no final da tarde, especialmente na região das pernas, tornozelos ou pés. Além disso, a sua picada é mais comum durante o verão, sendo por isso recomendado usar repelentes no corpo e inseticidas na casa, para proteção.
A prevenção da dengue pode ser feita com práticas simples que evitam, principalmente, a reprodução do mosquito transmissor, através da eliminação de objetos que acumulem água parada como pneus, garrafas e plantas, nas casas.

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário