Pagamento do 13º deve injetar R$ 1,27 bilhão na economia de RO

Cidades | 21 de Novembro de 2018

Foto: Pedro Bentes/G1

Foto: Pedro Bentes/G1

Com o pagamento do 13º salário, o comércio em Rondônia já aguarda um maior movimento nas lojas. Mesmo com a expectativa de que 46% das pessoas destinarão o benefício para pagar dívidas, comerciantes esperam aquecer as vendas nos últimos meses do ano, segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia (Fecomércio-RO).

 

A decoração natalina na principal via comercial de Porto Velho, a avenida Sete de Setembro, ainda é tímida. Enquanto isso, no interior das lojas, comerciantes tentam traçar o perfil do atual consumidor.

 

Mesmo com o enfraquecimento da recessão econômica, a pesquisa da Confederação Nacional dos Dirigentes Logistas (CNDL) apontou que o brasileiro estará disposto a desembolsar em média R$ 116,00 em presentes, por pessoa, nesse fim de ano.

 

Para o lojista José Aparecido, empresário do ramo de vestuário, a chegada do 13º dará um fôlego ao setor que sofreu com os efeitos do endividamento e desemprego da população.

 

“Acredito que os clientes vão primeiro colocar a casa em dia. Mas com inserção do 13º a tendência é dar uma melhorada [nas vendas]”, pensa o empresário.

 


“Eu não pretendo gastar meu 13º. Vou poupar. Ultimamente, estamos com muitas surpresas com o aumento de preços de um dia para o outro. Então prefiro deixar guardado para alguma emergência. O clima está muito instável, por isso, prefiro guardar a gastar”, conta Rayane.

 

Outro grupo de pessoas que já tem um propósito para o benefício de fim de ano são os endividados. Desse grupo, segundo o economista Silvio Persivo, fazem parte 62% das famílias de Porto Velho.

 

“Muita gente vai guardar o valor para pagar dívidas e impostos de início de ano, como escola e férias", explica Silvio.

 

Em meio aos clientes cautelosos e planejados, um dado anima os comerciantes rondonienses. Enquanto no Brasil as vendas de fim de ano terão aumento de 3,6%, a Fecomércio analisa que Rondônia terá aumento de 5,2%.

 

Outro fator que deve impulsionar as vendas nos últimos meses do ano são as 2.087 micro e médias empresas que foram legalizadas até o fim do primeiro semestre de 2018, segundo a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) em Porto Velho.

 

“Esse novo empreendedor é aquele que ficou desempregado com a crise e acabou abrindo o próprio negócio. Ele usou alguma habilidade que tem e se inseriu no novo mercado. É um comerciante que emergiu da crise, explica Joana Joanora, presidente da CDL.

 

Para incentivar os moradores de Porto Velho a injetarem o 13º em compras de fim de ano, a CDL explica que comerciantes atuam na aquisição de produtos diferenciados, promoções e modalidades de parcelamento das compras. Outra estratégia é a realização de eventos nas principais vias comerciais de Porto Velho.

 

“Nos últimos anos houve uma descentralização do comércio na cidade. Por isso, serão realizados três feirões. O primeiro será na avenida Jatuarana, Zona Sul, no próximo dia 2 de dezembro”, lembra a presidente da CDL.

 

Os feirões também acontecerão no dia 9 de dezembro na avenida José Amador dos Reis, Zona Leste da capital, e no dia 16 do mesmo mês na avenida Sete de Setembro, no Centro.

Autor: Pedro Bentes, G1 RO


Acidente fatal - Máquina tomba e operador infelizmente não sobrevive

Facebook

©Copyright 2018 - Todos direitos reservados a Rondônia Geral

O site não se responsabiliza por conceitos emitidos nos artigos e nas colunas assinadas e também pelo conteúdo dos anúcios de terceiros.