Mãe é presa suspeita de construir quarto para companheiro abusar da própria filha

Polícia | 02 de Julho de 2018

Uma mãe foi presa pela Polícia Civil em Tocantinópolis, norte do Tocantins, suspeita de permitir que o companheiro abusasse sexualmente da própria filha, uma menina de 13 anos. O caso começou ser investigado em maio, após denúncia de que o homem tinha uma arma ilegal e teria estuprado a menina. A mãe, de 33 anos, teria inclusive construído um quarto destinado aos abusos.

 

Conforme a Secretaria de Segurança Pública (SSP), ainda em maio foi realizada uma busca na casa do casal. A arma foi encontrada e os dois foram levados para a delegacia, onde confessaram que os abusos estariam ocorrendo há mais de um ano. Segundo a investigação, o casal vive em união estável há nove anos.

 

O homem, que tem 33 anos, afirmou que não havia estuprando a enteada, mas estava apenas “namorando” com a menina desde quando ela tinha 12 anos.

 

Ainda conforme a SSP, a mãe da vítima contou que tinha total conhecimento do relacionamento da filha e do companheiro. Teria dito ainda que torcia para que eles se casassem e tivessem filhos.

 

Durante o depoimento, de acordo com a polícia, a mulher afirmou que tinha feito um quarto na casa dela para o companheiro e filha poderem namorar de forma mais tranquila.

 

Porém, as investigações apontaram que a vítima não consentia com os abusos. Além disso, qualquer tipo de ato sexual com menores de 14 anos é considerado estupro de vulnerável, segundo a legislação brasileira.

 

As informações foram divulgadas pela polícia apenas neste domingo (1°), mas o suspeito está preso desde o dia 28 por posse de arma de fogo e estupro de vulnerável.

 

A mãe da menina foi presa na última quinta-feira (28) em cumprimento a um mandado de prisão devido ter se omitido diante dos abusos sofridos pela filha.

• Fonte: G1


Mulher de moto tem cabeça esmagada por caminhão

Facebook

©Copyright 2018 - Todos direitos reservados a Rondônia Geral

O site não se responsabiliza por conceitos emitidos nos artigos e nas colunas assinadas e também pelo conteúdo dos anúcios de terceiros.